Cinema

Games

Artigos

Latest Updates

Resenha | Apaixonados - Lauren Kate

12:41


O livro é apenas uma Spin Off de Fallen, mas para quem gosta mesmo da saga eu indico!

Quem não terminou a série e ficou se perguntando: E o Miles? A Shelby? Nossa adorável Ariane? Ou nosso querido Roland? Qual é a história deles?

Olha é claro que um livro de 181 páginas não terá a história de todos, mas pode conter a história de amor deles. E é exatamente isso que o livro conta.

Apaixonados é um livro que na verdade vem depois de Paixão, pois se passa na época em que Luce ainda está atravessando os Anunciadores atrás de suas outras vidas.

“O amor onde menos se espera” conta como Miles e Shelby se apaixonaram. “Lições de amor” representa o Dia dos Namorados de Roland. “Amor ardente” conta a história de amor de Ariane e é revelado como ela conseguiu aquela cicatriz. E, é claro que não poderia faltar, “Amor sem fim” se trata do primeiro e único dia dos namorados de Lucinda e Daniel.

Cada parte tem apenas quatro capítulos, então é bem rapinho de ler. Eu adorei, porque depois que terminei a saga fiquei muito curiosa para saber a história de amor de todos os personagens. Ganhei o box de Fallen então esse exemplar já veio junto, mas para quem comprou ou irá comprar separadamente lembrem-se não é uma continuação! Agora, para quem é fã da saga esse livro é indispensável.


O verdadeiro amor nunca diz adeus...

Notícia | Nova Coleção Riachuelo

10:24

A Riachuelo vai lançar uma coleção inspirada em Mario Bros e nós não estamos bem.

A coleção será lançada oficialmente dia 06 de março e contará com itens exclusivos do clássico da nintendo.

Além da moda feminina, masculina e infantil, a linha também contará com acessórios e moda casa. É muito amor.


Ficou ansioso por que nós não estamos aguentando de tanta ansiedade!

Vejam algumas peças:








Resenha | Em Algum Lugar Nas Estrelas - Clare Vanderpool

21:39

Em Algum Lugar nas Estrelas conta história de Jackie, um garoto do Kansas, filho de militar que com a morte precoce de sua mãe se vê obrigado a mudar para a escola militar Morton Hill.

Jack aos nove anos precisou se tornar o “homem da casa” quando seu pai foi enviado pra guerra contra Hitler. Após a morte de sua mãe ele se vê muito deslocado no mundo pois sua mãe era seu porto seguro. Assim na escola ele tenta de se encontrar de novo.

Como seu pai sempre está em guerra o relacionamento dos dois não era muito bom e por isso eles eram bem distantes um do outro. 

Olhamos para estrelas com admiração e fascínio, mas o fascínio não é consequência só da veneração. É fruto também de uma pergunta: por quê?

Nesse impasse de sem encontrar, ele conhece Early, um garoto excluído pelos outros por seus hábitos estranhos.

Early acredita que o numero PI conta historias de um garoto que também queria encontrar seu lugar no mundo, que cada dia da semana tem uma musica e que a Ursa Maior sempre o guiaria.

Early perdeu os pais e vivia com seu irmão na escola, mas seu irmão foi morto em combate e ele se apegava a historia de PI como a historia do seu irmão.

A história é bem gostosa de ler e a linguagem é bem simples, rápida, cheia de descobertas e aventuras. A narrativa é simples, como um infanto-juvenil, mas trazendo uma seriedade que foge um pouco do gênero.

Jack carrega a culpa de não ter protegido a mãe como prometeu ao pai, Early carrega a culpa de não ter ajudado seu grande herói, seu irmão.

A obra se espelha muito na pergunta “por quê?”. Os personagens sempre estão se perguntando o porquê das coisas acontecerem com eles ou das coisas serem como são.

A capa é maravilhosa e acho que isso nem é preciso comentar, darkside arrasa nas edições e os designers são tão bons quanto os autores. Além disso, o livro tem algumas ilustrações maravilhosas que só nos encantam mais ainda.

Sem esquecer-se de uma réplica de CD que vem com os dias da semana e as músicas que você precisa escutar nesses dias. Ainda tenho um milhão de motivos para te convencer a ler esse livro, mas vou deixar pra você mesmo descobrir.


Quando o oceano molhou meus pés, percebi que Early Auden , o mais estranhos dos garotos, tinha me salvado de ser levado embora. Ele me salvou quando me ensinou a reconstruir um barco, que números contam historias e que, quando chove é sempre Billie Holiday.

Resenha | Garotas de Vidro - Lauren Halse Anderson

13:58


Garotas de vidro entrou para minha lista de desejados depois que assisti uma resenha sobre ele no canal da Pam Gonçalves. E como normalmente acontece eu não me arrependi nenhum pouco de ter embarcado nessa história.

Lia é uma adolescente com sérios problemas em relação à forma como enxerga seu corpo. Lia tinha uma melhor amiga chamada Cassie, e um dia ela recebe a notícia que sua amiga morreu em um motel sozinha, mas, além disso, que antes disso ela ligou várias vezes para Lia.

Lia começa a se sentir culpada por não ter atendido as ligações, apesar de que, quando Cassie morreu elas não estarem mais conversando, decisão tomada pelos pais de Cassie que achavam Lia uma má influencia.

Não existe cura mágica, nem como fazer tudo desaparecer para sempre. Existem apenas pequenos passos adiante; um dia mais fácil, uma risada inesperada, um espelho que não importa mais.

O livro aborda muito mais que apenas um drama de adolescentes, mostra como distúrbios alimentares são destrutivos, e mais que isso, a forma como as pessoas que passam por isso se enxergam.

Lia não passa de uma adolescente lutando contra seus fantasmas, ao mesmo tempo em que não sabe se continuar lutando é realmente a melhor forma de continuar vivendo.

Com abordagens como tentativa de suicídio, depressão, bulimia e anorexia, o livro traz consigo uma carga bem pesada para quem se arrisca por suas páginas. Mas é exatamente por isso que é um livro muito indicado para adolescentes e para adultos que queiram entender melhor o que se passa na cabeça de pessoas que sofrem com esses distúrbios.


Se vale a pena ler? Talvez seja uma daquelas leituras obrigatórias que vão te fazer pensar em porque demorou tanto para ler. Mas prepare-se não é uma leitura fácil,  em alguns momentos ela chega a ser desesperadora.


Resenha | Matéria Escura - Blake Crouch

18:03
 

Esse livro foi uma cortesia da Editora Intrínseca.

E se você pudesse escolher uma versão de você, qual você escolheria?

Jason Dessen é um físico nuclear e professor em uma universidade. Sua vida é simples, não existe nada de excepcional nela. Pai de um adolescente e caso com uma artista ele vive todos os dias com a dúvida.

Quinze anos atrás, Daniela, na época, namorada de Jason, apareceu grávida, e ali ele precisou tomar uma decisão.  Ficar com ela e assumir aquele filho ou seguir em frente com sua carreira e se tornar um físico de sucesso.

Naquele momento, após decidir que ficar com Daniela, em um multiverso, uma nova versão de si mesmo foi criada. Essa sua versão deixou Dani para trás e seguiu com seu sonho, e o mais importante, conseguiu criar uma porta que leva você para vários mundos no multiverso.

Acho que tudo se resume a querer o que não tive. Aquilo que poderia ter tido se tivesse feito outras escolhas.

Quando li as críticas sobre o livro, fiquei fascinada com a premissa dele, afinal como seria minha vida se naquele dia eu tivesse virado a direita ao invés da esquerda, ou se eu tivesse aceitado aquele emprego?

Blake Crouch criou uma trama capaz de prender as mentes mais dispersas, e de deixar os corações mais calmos em desespero.

Nosso protagonista é sequestrado logo no início por alguém com máscara de gueixa, esse alguém o coloca em uma caixa, enquanto Jason está muito dopado. Ao acordar ele se vê em um laboratório, onde todos o conhecem, mas ele não conhece ninguém.

Depois de um tempo nesse mundo que ele sabe não pertencer a ele tudo começa a se encaixar. Seu outro eu conseguiu alcançar o seu objetivo e isso significa que ele está em outro mundo, enquanto seu outro eu assumiu o seu lugar.

Estamos apenas vagando através da tundra de nossa existência, atribuindo valor ao inútil, quando tudo que amamos e odiamos, tudo em que acreditamos e pelo que lutamos e morremos é tão sem sentido quanto imagens projetadas sobre acrílico.

Cheio de surpresas o livro não para um segundo, e você sempre irá se perguntar o que vai acontecer depois, se ele consegue, ou se em algum momento aquilo não vai passar de uma queda para o abismo.

Um thriller sci-fi que vai deixar fascinado, um livro que vai superar as expectativas de muitos, uma obra que vai saciar corações que a muito não leem uma obra tão bem desenvolvida. Algo tão diferente e ao mesmo tempo real que você vai se perguntar que aquilo realmente pode acontecer.


Enquanto você lê essa resenha, outro eu seu pode ter seguido outro caminho, e trilhado outra vida. Então, você quer descobrir?


Resenha | O Livro de Cam - Lauren Kate

17:56

A RESENHA PODE CONTER SPOILERS PARA QUEM NÃO LEU A SAGA FALLEN.

Depois que Daniel e Lucinda tiveram seu final feliz, Cam retorna para a escola Sword & Cross talvez porque o lugar foi o começo do fim, mas quem irá dizer? Ali ele encontra por coincidência Roland e Ariane que revelam onde a alma de sua antiga amada se encontra. Nos domínios de Lúcifer.

Se você encontra uma alma que ama mais que qualquer outra, não a abandona. 

Cam sela um pacto com o diabo para tirar a alma de Lilith dos confins do Inferno, ele tem apenas quinze diz para fazer a garota voltar a ama-lo ou terá que passar a eternidade ao lado de Lúcifer.

O problema é que Lilith o odeia, Cam quebrou seu coração no passado e mesmo não lembrando ela ainda sente como se devesse o desprezar. Os capítulos do livro são intercalados entre os dois, e por vezes alguns contém a história deles.

Te dou meus braços. Meus olhos. Minhas cicatrizes. E todas as minhas mentiras. E tu, que me darás?

O Livro de Cam é uma continuação da saga Fallen e é indicado para os fãs e para quem, assim como eu, gosta muito desse demônio. A leitura é bem tranquila, mas achei clichê a ideia do Inferno ser o ensino médio, parecia que estava assistindo ao um filme da Disney.

O final, na minha opinião, poderia ser melhor, pois teve um quê de continuação e nem imagino se terá outro. Quando foi lançado o livro anunciaram que seria o último da saga, então vamos esperar por notícias de Lauren Kate.

Só se vive uma vez. Mas, se você fizer direito, uma vez é o bastante.

Resenha | Êxtase - Lauren Kate

16:17

Aqueles eram os anjos. Aquela era a Queda.

A Queda dos anjos durou nove dias e nove noites e é esse o tempo que nossos personagens tem para conseguir impedir Lúcifer de limpar toda a história. No começo a autora já nos dá um pequeno trecho do quão grande é a Queda.

O problema em questão é que os anjos não sabem exatamente onde eles caíram, mas uma pesquisa antiga que Daniel fez pode ajudar. Após se reunirem na antiga escola Sword & Cross, Luce e os anjos saem em busca dos objetos que serão a chave para encontrar o local da Queda.

Fiz minha escolha há muito tempo, quase nos primórdios. Eu escolhi você, Lucinda.

Depois de três livros temos finalmente o casal reunido! Em Êxtase o tempo todo Daniel e Lucinda estão juntos, bem diferente dos volumes anteriores. Eles vão para Veneza encontrar o primeiro objeto enquanto Roland, Anabelle e Ariane para Viena, e Molly, Cam e Gabbe para Avalon, para encontrar os outros dois objetos.

Luce está mais diferente nesse livro, pois com a sua longa viagem que havia feito entre os Anunciadores ela começa a lembrar das suas vidas passadas. O problema é que ainda não se recorda da primeira, a qual conheceu Daniel.

Ela o reconheceu, sabia quem era. Muito antes, Lucinda havia amado esse anjo. Mas ele não era Daniel.

A única dificuldade que tive ao ler Êxtase foi me orientar, Lauren Kate tenta nos dar a localização exata de onde os personagens estão, entretanto não sou uma pessoa muito boa em me localizar (me perco na minha própria cidade), por isso sempre estava com o celular na mão procurando o local mencionado.

No último volume da saga Fallen o grande mistério é enfim revelado. A autora não deixa nenhuma peça fora do lugar, consegue explicar certinho todos os detalhes. Até temos uma “reconciliação” entre Luce e Cam.

Embora ela amasse Daniel mais que qualquer outra coisa, mais do que jamais imaginara possível, Luce não podia suportar a ideia de perder Cam. 

O grande mistério revelado eu já tinha um pouco em mente, mas mesmo assim fiquei surpresa com algumas coisas que nem havia imaginado. Já o final eu sinceramente gostei, a autora acertou em cheio! Vale lembrar que em Fallen o amor nunca diz Adeus...

Para quem ama a saga e/ou achou que alguns personagens foram esquecidos (eu não achei) ainda temos outros volumes para complementar, podem ajudar a descobrir um pouco mais sobre a vida dos outros anjos caídos. E para quem ama o Cam tanto quanto eu indico o Livro de Cam, vale muito a pena descobrir um pouco mais sobre a vida desse demônio magnífico.

O amor é a única coisa pela qual vale a pena lutar.

Resenha | Todo Dia - David Levithan

13:38
 
Todo dia sou uma pessoa diferente. Eu sou eu, sei que sou eu, mas também sou outra pessoa. 

Um dos livros que estava a bastante tempo na minha lista de desejados e de “eu preciso ler pra ontem” era esse. David Levithan surgiu um pouco por conta de John Green, mas depois que você o desvincula disso, descobre que ele é tão bom quanto John, se não melhor.

Levithan já lançou inúmeras obras e eu já tive o prazer de ler praticamente todas elas e nunca, nem por um segundo ele me decepcionou com aquele jogo de amor adolescente que convenhamos, já é bem ultrapassado. Claro que ele fala de amor, mas é sempre de uma forma tão peculiar que você sempre está ansioso pelo próximo livro.

O passado não me ofusca, nem o futuro me motiva. Concentro-me no presente, porque é nele que estou destinado a viver. 

Com “Todo Dia” não foi nada diferente, Levithan traz para seus leitores a história de A, um ser que muda de corpo todos os dias. Ou seja você não sabe se é um garoto ou uma garota, só sabe que ele existe e que rouba a vida de alguém durante um dia e não consegue controlar em quem vai ficar, e isso faz todos os seus dias se tornarem uma surpresa.

Em uma dessas suas hospedagens ele entra no corpo de Justin, um adolescente extremamente machista e grosseiro que trata sua namorada como um objeto. Acontece que A não é assim e decide fazer daquele dia um dia memorável pra ela, por mais que ele não vá está ali  no dia seguinte. No decorrer do dia ele começa a achar aquilo maravilhoso, mesmo tendo consciência que não vai durar mais que aquele único dia.


Na minha experiência, desejo é desejo, amor é amor. Nunca me apaixonei por um gênero. Apaixonei-me por indivíduos. Sei que é difícil as pessoas fazerem isso, mas não entendo por que é tão complicado, quando é tão óbvio.

O dia acaba e mesmo em outro corpo, A não consegue parar de pensar nela, e assim começa sua eterna batalha em conquistar Rhiannon todos os dias em corpos diferentes, torcendo pra que ela entenda e principalmente aceite.

Todo dia trata profundamente da aparência interior e como é difícil que alguém te enxergue por isso.  Quando Rhiannon o reconhece em meio a multidão apenas pela forma como ele a olha é maravilhoso, você sente a felicidade dele dentro de você e isso é incrível.

— Como sabia que era eu? — preciso perguntar. — Pelo modo como olhou para mim — diz ela. — Não teria como ser outra pessoa.

Com A habitamos corpos destruídos pelas drogas, pela comida, pela vida. Começamos a enxergar o mundo de tantas perspectivas diferentes que no final ficamos com um pouco de A dentro de nós, e ficamos imaginando se ele não está realmente ali, por apenas um dia.


Levithan mais uma vez deixou sua marca na minha trajetória como leitora, e se você ainda não ouviu falar da obra ainda dá tempo de conhecer essa história incrível e se apaixonar por A, aquele que pode ser uma garota ou um garoto, isso só vai depender do dia.

Um dos cartazes dos manifestantes chama minha atenção. Está escrito: “HOMOSSEXUALISMO É OBRA DO DIABO.” E, mais uma vez, penso em como as pessoas usam o diabo para dar nome às coisas que temem.

 
Copyright © Free Time. Designed by OddThemes